Seminários: «Um jovem é o melhor missionário de outro jovem» – padre Hélder Alexandre, Diocese de Angra

Seminários: «Um jovem é o melhor missionário de outro jovem» – padre Hélder Alexandre, Diocese de Angra

Pandemia obrigou a adaptação nas iniciativas, com limitações ao encontro entre jovens de várias ilhas

Angra do Heroísmo, Açores, 02 nov 2020 (Ecclesia) – O reitor do Seminário Episcopal de Angra afirmou que a pandemia está a dificultar o trabalho de acompanhamento vocacional na diocese açoriana, apesar de em cada ilha haver um responsável no terreno e de procurarem manter-se presentes nas plataformas digitais.

“Tentamos fazer um trabalho interligado com as diversas ilhas, porque a realidade açoriana é muito particular; cada ilha tem a sua realidade e sobretudo, em São Miguel, temos uma equipa a trabalhar no terreno com uma dezena de jovens que os acompanha diretamente”, explicou o padre Hélder Alexandre à Agência ECCLESIA

[continuar a ler]
Vocações: «O Seminário não é uma casa onde se entra seminarista e se sai obrigatoriamente padre» – Gonçalo Brum

Vocações: «O Seminário não é uma casa onde se entra seminarista e se sai obrigatoriamente padre» – Gonçalo Brum

Comissão Episcopal Vocações e Ministérios está a divulgar vídeos com testemunhos vocacionais ao longo da semana

Lisboa, 02 nov 2020 (Ecclesia) – A Comissão Episcopal Vocações e Ministérios está a divulgar a publicação de um vídeo diário ao longo da Semana dos Seminários, que decorre até ao dia 8, onde diferentes seminaristas abordam o seu processo vocacional.

Gonçalo Brum, seminarista de 22 anos dos Açores, conta, no vídeo mais recente, a sua opção de entrar no Seminário de Angra para um caminho de discernimento e descoberta da vocação.

“Ao longo da nossa vida vamos tendo sinais que nos apontam para isto e nos dizem que se calhar este é o nosso caminho. Ao longo da adolescência e juventude houve um caminho de negação mas depois quis experimentar. Agora estou aqui para discernir se é realmente isto que Jesus quer me mim”, explica.

O maior desafio, assume o jovem a frequentar o 4º ano, foi a separação familiar

[continuar a ler]
A exigência da novidade

A exigência da novidade

Quanta capacidade tenho de reconhecer a novidade que me rodeia? Parece estranha esta interrogação. Todavia é densa no seu significado, e exige uma profunda introspeção, uma capacidade de denotar as evidências que nos rodeiam. O que é a novidade? Como a posso identificar?

A novidade não se define por dicionário ou glossário, a novidade encontra-se no Evangelho. Ele guia a minha vida por caminhos de Luz e de Justiça, pelos caminhos que Jesus, verbo de Deus incarnado, veio revelar ao mundo. Assim não é tanto o que é, ou como identifico a novidade, mas como me comporto com ela, diante de inúmeros dilemas e circunstâncias que exigem do cristão uma atitude positiva, justa e imparcial, resumindo, à luz do Evangelho. [continuar a ler]

Bispo de Angra desafia Seminário a formar “verdadeiros discípulos”

Bispo de Angra desafia Seminário a formar “verdadeiros discípulos”

Vigília de oração juntou seminaristas, grupos de jovens e religiosos no Seminário na véspera de mais uma Semana dos Seminários

O bispo de Angra presidiu esta noite à vigília de oração no âmbito da Semana dos Seminários, que decorrerá entre os dias 1 e 8 de novembro, e  sublinhou a necessidade do Seminário ser capaz de criar “verdadeiros discípulos”, capazes de serem “testemunhas no mundo” da bondade e do amor de Deus.

“O seminário tem de criar as condições para que cada um dos seminaristas aprenda a ser discípulo, isto é, a viver e a ser como Jesus nos seus gestos e nas suas atitudes. Esta é a primeira etapa que tem de ser estruturada no Seminário”, afirmou ainda.

Para D. João Lavrador, esta é uma “etapa decisiva” para formar “testemunhas de uma vida nova, desse reino novo que Deus quer criar no mundo”.

[continuar a ler]
Que parte de Deus ainda te falta amar?

Que parte de Deus ainda te falta amar?

Na Liturgia da Palavra das últimas semanas, temos escutado uma coleção de respostas de Jesus aos fariseus que, de domingo a domingo, teimosamente, abordam Jesus com perguntas ambíguas, à espera de um raciocínio mal construído para O poderem condenar, por atentado à lei.

Os fariseus abordam Jesus nos mais diferenciados domínios da sociedade: na justiça, na política, na religião… e de pergunta em pergunta, como não conseguem ver para além do seu umbigo e das suas zonas de conforto, ou do alto dos seus pódios, não aceitam as respostas renovadoras e comprometedoras de Jesus. [continuar a ler]