QUEM NOS SEPARARÁ?

QUEM NOS SEPARARÁ?

 

Quem nos separará do amor de Cristo?

A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada?

São Paulo

 

Durante este tempo de Quaresma, a Igreja exorta-nos a ter especial atenção para com os que sofrem e experimentam de algum modo a pobreza, a miséria, a injustiça e a perseguição. Também somos exortados a uma particular e excecional solidariedade com o próprio Cristo que sofre. [continuar a ler]

Deserto florido

Deserto florido

Um sacerdote italiano publicou uma obra curiosamente chamada Felizmente há a Quaresma!

Nunca tive a oportunidade de ler a referida obra, apesar de a ter folheado numa livraria e de me ter despertado o interesse; no meio de outras leituras de necessidade mais urgente, ficou em lista de espera.

Independentemente da sua leitura ou não, qualquer cristão deveria exclamar: Felizmente há a Quaresma! [continuar a ler]

Neste primeiro ano, após a sua morte

Neste primeiro ano, após a sua morte

Neste primeiro dia da Primavera, perfaz um ano do falecimento do monsenhor José Soares Nunes que, durante 60 anos, foi professor do Seminário Episcopal de Angra.

Aos 84 anos, o padre José Nunes partiu para o Pai e neste primeiro ano, após a sua morte, apenas ficou a ausência de uma pessoa que, durante anos se dedicou inteiramente à Igreja, essencialmente, na formação e acompanhamento de jovens vocacionados ao sacerdócio.

A minha turma foi a primeira a não ter o privilégio de o ter como professor, visto que, no ano lectivo em que iniciamos a Teologia, ele deixou de leccionar. Contudo, tivemos a felicidade de alguns os momentos de convívio, de diálogo, de troca de olhares, que foram também outras formas de ele [nos] ensinar. E nisto, ele era e é exímio: chegava sem alarmes, presente sem dar das vistas, falar sem se sobrepor, ir embora quando achava que tinha que ir. [continuar a ler]

Conversão e encontro

Conversão e encontro

Na maior parte das vezes, baseamos a nossa caminhada quaresmal num itinerário que tem como ponto de chegada o sepulcro vazio. Percorrendo com Cristo todas as etapas: passando pelo Pretório, chegando ao Gólgota e alcançando, finalmente, a manhã da Ressurreição, vamos penetrando no mistério da sua doação. Fazemos o propósito de ir aperfeiçoando o nosso caminhar durante todo o percurso rumo ao Calvário, para com Ele chegarmos também ao grande dia de Páscoa. Sendo a vida de Jesus uma entrega permanente ao Amor, talvez possamos percorrer o caminho da Quaresma haurindo todas as forças na vitória de Jesus face à morte, de certa forma o «caminho inverso» do percurso habitual.  [continuar a ler]

LOGÓTIPO DA CAMINHADA SINODAL – Nota explicativa

LOGÓTIPO DA CAMINHADA SINODAL – Nota explicativa

NOTA EXPLICATIVA DO LOGÓTIPO DA CAMINHADA SINODAL

“A beleza de caminharmos juntos em Cristo” 

 

Num tempo em que tudo parece relativo e em que muitos se consideram detentores da verdade, faz todo o sentido a interpelação que nos fazem com a caminhada sinodal da Diocese de Angra, subordinada ao tema “A Beleza de caminharmos JUNTOS em Cristo”.

O nosso meio (mesmo o eclesial) carateriza-se muitas vezes pelo individualismo, fruto da excessiva consideração do ego como autossuficiência, ou seja, da convicção de que não precisa dos outros. [continuar a ler]

“…do teu Valentim!”

“…do teu Valentim!”

“…do teu valentim!”

O mês de fevereiro é, particularmente, um mês frio e meteriologicamente inseguro: ora está sol e saímos sem guarda-chuva, ora somos apanhados por uma repentina chuvada.

Após uma temporada de longos dias de escuro, é o mês onde se nota já uma diferença nos dias, como diz o nosso sábio povo “Janeiro fora, cresce uma hora”.

É um mês de espectativas e de fazer planos para o resto do ano, marcar férias, começar a organizar uma viagem… Mas também é o mês em que os agricultores começam a preparar as terras para serem semeadas. Fevereiro é, sem dúvida, um mês de preparações. [continuar a ler]