São alunos do Seminário de Angra, onde frequentam o sexto ano

A diocese de Angra vai viver no próximo dia 8 de dezembro a ordenação diaconal de três alunos do Seminário Episcopal de Angra, numa missa que será presidida pelo bispo D. João Lavrador, às 16h00, no Santuário de Nossa Senhora da Conceição em Angra do Heroísmo.

Jorge Sousa (Ponta Garça-Ouvidoria de Vila Franca do campo); João Silva (Mosteiros- Ouvidoria de Ponta Delgada) e António Santos (Furnas- Ouvidoria da Povoação) são os três futuros diáconos, que deverão ser ordenados sacerdotes no final deste ano letivo que agora frequentam (6º ano) no Seminário de Angra.

A celebração que vai ser reservada à família e convidados devidos às restrições impostas pela pandemia, e pela dimensão da igreja da Conceição, em Angra, contará com a presença da equipa formadora do Seminário e todos os professores dos jovens seminaristas, na sua esmagadora maioria sacerdotes, bem como os párocos e ouvidores dos lugares de origem, onde os futuros diáconos iniciaram a sua caminhada de fé e terá transmissão em direto na Vitec Azores

Para Jorge Sousa, o mais velho do grupo, a ordenação de diácono “é um momento muito significativo” porque se trata de receber “o primeiro grau do sacramento da ordem e isto permite-nos uma transformação no nosso próprio ser já não apenas como batizados mas como clérigos”, afirmou ao Igreja Açores.

Por outro lado, chegar ao diaconado é” dar mais um passo rumo a esse desejo de sermos padres” e de “servir a Igreja”, ainda que seja um momento “com borboletas no estômago”.

“Com esta ordenação vamos tendo mais consciência de que está a chegar o tempo de servir a Igreja e isso causa mais borboletas no estômago: nervosismo, medo, medo de falhar e de não estar à altura, sobretudo isso” adianta ainda.

“Lembro-me do padre José Júlio Rocha, com que faço trabalho pastoral, dizer muitas vezes que o medo é o inimigo do amor. Este é um amor realista que é o medo de falhar com aqueles que  vou servir”

É na ótica do serviço que António Santos encara este momento.

“É a oportunidade para ser um bom servo, não só com as minhas forças mas com o auxilio da Sua graça sacramental e é com esta Graça de Deus que vou encontrar forças” refere.

“A Igreja vive tempos difíceis e com esta situação pandémica estas problemáticas agravaram-se. sinto que só com a criatividade, a alegria e a fidelidade ao Evangelho é que poderemos responder a estes tempos de crise” reflete ainda o jovem furnense.

João Silva descreve esta ordenação como um momento marcado “por um conjunto de emoções”.

“É um momento de grande alegria na medida em que damos um grande passo na concretização  do nosso objetivo que é sermos padres” refere o jovem ao sublinhar os desafios que tem pela frente.

“Ser diácono é aliciante e desafiante porque somos chamados a servir num mundo e numa sociedade concreta, marcada por muitas transformações, mas temos essa certeza de que Deus está sempre presente e nos dá a graça de correspondermos com amor e disponibilidade aquilo que nos é pedido”, conclui.

Ainda no passado dia 6 de setembro, D. João Lavrador ordenou seis novos sacerdotes em Ponta Delgada. No próximo ano, se tudo correr como previsto, serão ordenados mais três só voltando a existir novas ordenações na diocese de Angra em 2023.