Igreja Católica celebra 57ª Semana das Vocações ainda com constragimentos

Igreja Católica celebra 57ª Semana das Vocações ainda com constragimentos

Bispo de Angra deixa mensagem para que todos se entreguem a Jesus, “o amigo permanente dos jovens”

A Igreja Católica vai celebrar de 26 de abril a 3 de maio a 57ª semana de oração pelas Vocações Consagradas, uma iniciativa anual que em 2020 decorre num contexto inédito, por causa da pandemia de Covid-19.

“Este ano estamos a celebrar esta semana das vocações em contexto de tribulação, no qual sobressaem muitos medos, perplexidades e dúvidas sobre o futuro. Saibamos iluminar este tempo com a Sabedoria do Evangelho e aproveitar o silêncio, o recolhimento e a interioridade para nos colocarmos junto de Jesus de Nazaré, o Amigo permanente dos jovens, para nos deixarmos conduzir por Ele”, exorta o bispo de Angra.

Numa Mensagem  elaborada para estes dias, a partir de uma passagem do Evangelho de Mateus «Jesus mandou aos seus discípulos que fossem para a outra margem» (cfr. Mt 14, 22), D. João Lavrador desafia os diocesanos a aceitarem o convite que Jesus nos lança “a todos e cada um” para “segurarmos a nossa vida na Sua vida, tendo a coragem de colocar a nossa mão na Sua mão”.

[continuar a ler]
QUEM NOS SEPARARÁ?

QUEM NOS SEPARARÁ?

 

Quem nos separará do amor de Cristo?

A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada?

São Paulo

 

Durante este tempo de Quaresma, a Igreja exorta-nos a ter especial atenção para com os que sofrem e experimentam de algum modo a pobreza, a miséria, a injustiça e a perseguição. Também somos exortados a uma particular e excecional solidariedade com o próprio Cristo que sofre. [continuar a ler]

Deserto florido

Deserto florido

Um sacerdote italiano publicou uma obra curiosamente chamada Felizmente há a Quaresma!

Nunca tive a oportunidade de ler a referida obra, apesar de a ter folheado numa livraria e de me ter despertado o interesse; no meio de outras leituras de necessidade mais urgente, ficou em lista de espera.

Independentemente da sua leitura ou não, qualquer cristão deveria exclamar: Felizmente há a Quaresma! [continuar a ler]

Neste primeiro ano, após a sua morte

Neste primeiro ano, após a sua morte

Neste primeiro dia da Primavera, perfaz um ano do falecimento do monsenhor José Soares Nunes que, durante 60 anos, foi professor do Seminário Episcopal de Angra.

Aos 84 anos, o padre José Nunes partiu para o Pai e neste primeiro ano, após a sua morte, apenas ficou a ausência de uma pessoa que, durante anos se dedicou inteiramente à Igreja, essencialmente, na formação e acompanhamento de jovens vocacionados ao sacerdócio.

A minha turma foi a primeira a não ter o privilégio de o ter como professor, visto que, no ano lectivo em que iniciamos a Teologia, ele deixou de leccionar. Contudo, tivemos a felicidade de alguns os momentos de convívio, de diálogo, de troca de olhares, que foram também outras formas de ele [nos] ensinar. E nisto, ele era e é exímio: chegava sem alarmes, presente sem dar das vistas, falar sem se sobrepor, ir embora quando achava que tinha que ir. [continuar a ler]

Seminário de Angra suspende aulas e jornadas de teologia

Seminário de Angra suspende aulas e jornadas de teologia

Seminaristas sem aulas até 13 de abril

Estão suspensas as aulas no Seminário Episcopal de Angra a partir da próxima segunda feira até dia 13 de abril.

A decisão foi comunicada ao Igreja Açores pelo Reitor, Padre Hélder Miranda Alexandre, que assim acompanhada a decisão do Governo que decretou o encerramento das atividades letivas em todo o país.

Paralelamente e seguindo as recomendações da cúria diocesana, o Seminário adiou também as IV Jornadas de teologia previstas para os dias 25, 26 e 27 de março.

Hoje, a conferência Episcopal Portuguesa, em consonância com as indicações do Governo e das autoridades de saúde, determinou que os sacerdotes suspendam a celebração comunitária da Santa Missa até ser superada a atual situação de emergência.

Também devem seguir-se as indicações diocesanas referentes a outros sacramentos e atos de culto, bem como a suspensão de catequeses e reuniões.

[continuar a ler]
Conversão e encontro

Conversão e encontro

Na maior parte das vezes, baseamos a nossa caminhada quaresmal num itinerário que tem como ponto de chegada o sepulcro vazio. Percorrendo com Cristo todas as etapas: passando pelo Pretório, chegando ao Gólgota e alcançando, finalmente, a manhã da Ressurreição, vamos penetrando no mistério da sua doação. Fazemos o propósito de ir aperfeiçoando o nosso caminhar durante todo o percurso rumo ao Calvário, para com Ele chegarmos também ao grande dia de Páscoa. Sendo a vida de Jesus uma entrega permanente ao Amor, talvez possamos percorrer o caminho da Quaresma haurindo todas as forças na vitória de Jesus face à morte, de certa forma o «caminho inverso» do percurso habitual.  [continuar a ler]