Segue-Me

Segue-Me

No recomeço do Seminário

 Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança e disse-lhe: Segue-Me. E ele ergueu-se e seguiu Jesus”. (MT 9, 9)

O mestre Caravaggio plastifica esta passagem do Evangelho de forma genial, dando-lhe um cariz de eternidade, como que a dizer que esta cena se repete constantemente. A vocação de Mateus, exposta na Igreja de S. Luís dos Franceses, em Roma, é apresentada ao visitante num local escuro. À direita está Cristo que estende o braço direito a Mateus, que, acompanhado por quatro companheiros, se surpreende com o inesperado convite, reagindo com o dedo da mão esquerda para si mesmo. Só ele, e mais um jovem, dão pela presença do Mestre. Os outros jogam. Um velho e um jovem contam o dinheiro. A luz projeta-se da direita, como graça divina, e ilumina as personagens. Os detalhes da pintura são precisos e muito cuidados, como as vestes das personagens, ou as cores quentes, meticulosamente escolhidas. É a luz que dá forma e movimento à cena e as personagens parecem sair da penumbra. Assim é a vocação, só alguns estão atentos e percebem a presença do Senhor na quotidianidade.  O resto é mistério! [continuar a ler]