Numa resposta curta à nossa pergunta, podemos dizer que somos seres criados à imagem e semelhança de Deus, dotados de liberdade e de inteligência.

Deus criou-nos para dominar e tratar o mundo e relacionar-nos com os outros seres, com seres da nossa espécie, de uma maneira especial, e também relacionar-nos com nosso Criador, ou seja, Deus.

Sem a ligação e a relação com o outro e com Deus nada conseguimos fazer e não nos conseguimos conhecer, pois é através dessa relação que adquirimos aprendizagem e conhecimento.

Hoje em dia, parece que o mundo se encontra ao contrário e em vez de ser o homem a dominar a tecnologia, é a tecnologia que está a dominar o homem. Atualmente, existe falta de relação com os outros, falta de diálogo. Lembro, que há alguns anos, os pais brigavam com os filhos, porque estes passavam horas na rua a brincar. Hoje em dia é o contrário, os pais brigam para os filhos irem para a rua brincar, porque passam horas à frente do computador.

Pode-se dizer que quase todas as pessoas possuem telemóveis e computadores, dos quais passam horas ligados a eles, esquecendo-se da relação direta com o outro. Buscam a lei do menor esforço. Sempre que surge alguma dúvida ou quando se tem de fazer um trabalho, vão às pesquisas de internet e lá encontram mais facilmente e rapidamente e não têm trabalho de “puxar pela cabeça”, o que leva à falta de imaginação e criatividade por parte das pessoas.

É mais fácil fazer amizades e criar uma “relação” através da internet e das redes sociais, mas quando esses encontram-se pessoalmente não conseguem dirigir uma palavra. Vamos a um café, a um restaurante ou até mesmo jantar a casa de algum conhecido, e encontramos cada um a olhar para o seu telemóvel, em vez de estarem a dialogar entre si, e se for preciso, ainda estão a trocar mensagens entre si mesmos, estando ao lado um do outro.

Com isso tudo, facilmente esquece-se o que é a verdadeira amizade e a necessidade de um abraço. Facilmente junta-se e falam entre si para deitar alguém abaixo, do que para construir a paz.

Busquemos contrariar isso e dar a verdadeira utilidade à tecnologia, ou seja, essa estar ao serviço do homem e não o homem ao serviço dessa. Busquemos, também, procurar no outro a resposta que procuramos, pois será nessa relação com o outro, de uma forma direta, e da ligação com Deus que podemos encontrar resposta para a pergunta colocada.

Fábio Carvalho

5º Ano