Diocese de Angra tem três novos sacerdotes. Bispo desafiou-os a não terem medo de “tocar as chagas da humanidade”

Diocese de Angra tem três novos sacerdotes. Bispo desafiou-os a não terem medo de “tocar as chagas da humanidade”

A diocese de Angra viveu esta tarde uma dupla festa: a ordenação de três novos padres e a celebração das bodas de prata do seu bispo emérito, D. António de Sousa Braga, que no próximo dia 30 comemora os 25 anos da sua ordenação episcopal. Pelo segundo ano consecutivo a ordenação de novos sacerdotes na diocese de Angra decorreu com grandes constrangimentos e na homilia o bispo de Angra desafiou os três novos sacerdotes a serem “servidores da esperança”, numa sociedade marcada pela morte.

“Diante dos sinais de sofrimento e de morte na sociedade atual” disse D. João Lavrador , “a unção do Espírito consagrar-vos-á  com o óleo da alegria,  para serdes no meio do Povo de Deus verdadeiros servidores da esperança, alimentando a fé e despertando em todos a partilha de dons, numa caridade que revela o coração de Deus”.

“Há uma multidão de gente, muitas vezes sem o saber exprimir, que espera encontrar-se com Jesus de Nazaré e ser acolhida no reconfortante ambiente de uma comunidade que vivendo à maneira de Jesus Cristo partilha dos seus dons com os irmãos e é portadora de uma Boa Noticia que dá as razões profundas da esperança” esclareceu  o prelado diante [continuar a ler]

Reitor do Seminário quer que os novos sacerdotes sejam “tecedores de Fraternidade”

Reitor do Seminário quer que os novos sacerdotes sejam “tecedores de Fraternidade”

A ordenação presbiteral dos três diáconos António Santos, João Silva e Jorge Sousa é mais uma “ocasião de graça e de esperança” para a Igreja Diocesana e espera-se que eles sejam “tecedores de fraternidade” estando disponíveis para a missão refere o reitor do Seminário Episcopal num artigo de opinião publicado aqui no Sítio Igreja Açores.

“Precisa-se que os novos padres sejam tecedores de fraternidade, dentro e fora da Igreja. Os jovens sacerdotes não podem crescer com divisões, contendas e críticas mordazes, mas no acolhimento, compreensão e perdão dos irmãos mais velhos, aceitando a correção fraterna. Claro que hão-de falhar. A Igreja não é de perfeitos, mas de pecadores em caminho, sonhadores e anunciadores do Evangelho”, afirma o responsável pela formação dos novos sacerdotes na diocese de Angra, padre Hélder Miranda Alexandre

[continuar a ler]
“Serei um padre de porta aberta”, afirma Jorge Sousa

“Serei um padre de porta aberta”, afirma Jorge Sousa

Diácono de 38 anos vai ser ordenado sacerdote no próximo dia 27 de junho

Ser padre fazia parte dos seus planos desde criança, mas a vida e o Espírito Santo, pareciam com jugados para o afastar do Seminário. Até 14 de setembro de 2014, altura em que decidiu “arriscar” refere o diácono Jorge Sousa, natural de Ponta Graça, em Vila Franca do Campo, mesmo contra a vontade da mãe que quando confrontada com o “seu empenho” nas coisas da Igreja chegou a dizer-lhe que “vivia entre as saias das freiras”. Aliás, recorda, com o coração apertado o dia em que disse à mãe que iria para o Seminário. “Foram dias difíceis porque ela só falava comigo o essencial” e quando o reitor do Seminário visitou a comunidade de Ponta Graça, por ocasião da festa local, em honra de Nossa Senhora da Piedade a felicitou pela alegria que seria ter um filho a estudar para padre ela lhe respondeu de forma seca “que estava a fazer a sua vida”.

“Muitas vezes me fiz, e ainda faço, a pergunta com frequência: Senhor o que queres de mim; Senhor o que queres que eu faça. É uma pergunta recorrente que faço sobretudo nos

[continuar a ler]
“As pessoas precisam de pastores próximos que as acolham, com defeitos e virtudes”

“As pessoas precisam de pastores próximos que as acolham, com defeitos e virtudes”

João Silva é natural dos Mosteiros, São Miguel, e vai ser ordenado sacerdote a 27 de junho

É e foi porventura o candidato ao sacerdócio mais alto que o Seminário alguma vez teve (1,99m), mas questionado se vai ser um grande padre prefere dizer, com simplicidade, que vai procurar ser um padre “próximo, disponível para a escuta” e, sobretudo desejoso de “fazer caminho com a comunidade ao encontro do bom Jesus”.

João Silva é um dos três seminaristas, aluno do 6º ano do Seminário Episcopal de Angra que vai ser ordenado no próximo dia 27 pelo bispo de Angra, na Igreja de São José, em Ponta Delgada. Natural dos Mosteiros, paróquia da maior ouvidoria da diocese- Ponta Delgada- será mais um fruto do Seminário de Angra

[continuar a ler]
“Gostava de estar junto ao povo, essencialmente nas paróquias: foi dela que saí e é para ela que quero voltar”, afirma António Santos

“Gostava de estar junto ao povo, essencialmente nas paróquias: foi dela que saí e é para ela que quero voltar”, afirma António Santos

Diácono, aluno do 6º ano do Seminário de Angra, será ordenado a 27 de junho

António Santos, natural das Furnas, tem 24 anos e vai ser ordenado presbítero da diocese de Angra no próximo dia 27 de junho, em São Miguel, juntamente com dois outros colegas de turma.

Este domingo é o convidado do programa de rádio Igreja Açores, que inicia uma série de entrevistas com os três diáconos que serão ordenados pelo bispo de Angra na Igreja de São José, em Ponta Delgada.

“Reservado e tímido”, limitações contra as quais procura lutar diariamente, compensando com o o”sentido de escuta e a disponibilidade para ouvir”, o jovem micaelense que foi ordenado diácono no passado dia 8 de dezembro, lembra que a sua maior vontade é estar inserido numa comunidade paroquial, sem enjeitar os estudos pela História e pela Psicologia, duas áreas de interesse confessado.

“A minha prioridade agora seria estar junto ao povo, essencialmente nas paróquias: foi dela que saí e é para ela que quero voltar” admite, sem saber exatamente o que vai fazer depois do dia 27 de junho.

[continuar a ler]