Seminaristas da diocese de Angra desdobraram-se em encontros em várias ouvidorias

A Semana Nacional dos Seminários chega hoje ao fim e com ela o périplo que os seminaristas do Seminário Episcopal de Angra fizeram pelas ouvidorias de Ponta Delgada, Povoação, Vila Franca do campo, Lagoa, Pico, Faial, Flores e Graciosa.

Na maior ouvidoria açoriana para além da vigilia de oração da Igreja do Santo Cristo, em Ponta Delgada, realizou-se um encontro de Pré-Seminário organizado pela delegação do Serviço Diocesano das Pastoral das Vocações e Ministérios na Vigararia Nascente, que integra as ilhas de São Miguel e Santa Maria.

“O pré-seminário é uma ajuda, um complemento para uma escolha do Seminário,  mas só por si não será suficiente. O discernimento é fundamental e este encontro permite ajudar os jovens no caminho da descoberta da sua vocação”, disse ao Igreja Açores o Pe. Nuno Maiato, responsável pela organização do Encontro que decorreu no Centro Pastoral Pio XII, este sábado.

 

“A ida para o Seminário não resulta de um simples clique; é precio haver um caminho”, reforça o sacerdote que garante que estes encontros vão ganhar uma periodicidade mensal, sendo que o próximo encontro realizar-se-á já entre o Natal e o Ano Novo.

A formação humana é o maior desafio dos Seminários hoje, defende, por seu lado o responsável pela instituição de formação dos futuros sacerdotes nos Açores, Pé Hélder Miranda Alexandre.

“A formação humana é o maior desafio de qualquer Seminário porque queremos pessoas ricas em humanidade, na capacidade de acolher, estar com as pessoas, com humildade e sentido de serviço” afirmou o o reitor ao programa Igreja Açores.

O responsável pela instituição, considerada pelo bispo diocesano como o `coração da diocese´, sublinha o objetivo de formar rapazes “à imagem do Cristo Bom Pastor” e do papa Francisco, “nos gestos de acolhimento e no sorriso”.

As vocações nascem de comunidades concretas “com desafios próprios de jovens de hoje e as qualidades têm que se potenciadas sempre num discernimento sério para retirar elementos que podem não ser adequados ao Evangelho”, traduz o sacerdote sublinhando que o padre não pode ser “um homem fechado no seu mundo isolado”.

A casa de formação do clero nos Açores tem, de resto, como principal prioridade o “discernimento vocacional” que está a ser a trave mestra para toda a ação neste ano letivo.

“Tem sido sempre uma preocupação mas este ano vamos reforça-la com um acompanhamento diferente dos nossos seminaristas, mais personalizado, mais centrado no acompanhamento espiritual, sem descurar naturalmente as componentes pedagógica e académica”, desenvolveu o reitor.

Neste contexto, considera que pelo “acompanhamento mais personalizado e mais próximo” vão conseguir perceber melhor “as verdadeiras intenções dos jovens seminaristas” e de que forma os podem “orientar melhor”.

A Diocese de Angra foi responsável pela preparação dos subsídios que a Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios disponibiliza para a Semana dos Seminários que a Igreja Católica assinala entre hoje e o próximo dia 19 de novembro, este ano com o lema ‘Fazei o que Ele vos disser’, inspirado numa passagem do Evangelho, as bodas de Caná.

In Igreja Açores