Quinta Feira Santa

Quinta Feira Santa

 

Com a Santa Missa da Ceia do Senhor, nesta Quinta-feira Santa, tem início o Tríduo Pascal. Ao recordar a Última Ceia de Jesus com os discípulos, celebra-se a instituição da Eucaristia. Além disso, ocorre o rito do lava-pés, repetindo o gesto de Cristo que lavou os pés dos seus discípulos, deixando a todos um testemunho da vocação ao serviço do mundo e da Igreja. [continuar a ler]

COMPORTAMENTO GERA COMPORTAMENTO

COMPORTAMENTO GERA COMPORTAMENTO

Quem de nós nunca sentiu que o sorriso que recebeu foi resultado do sorriso que ofereceu?

Ou que a pessoa que está à nossa frente se apressou devido ao facto de ter notado o nosso ritmo acelerado e impaciente?

Ou, então, quem nunca se sentiu desmotivado ao ver o outro também desmotivado?

O facto é que ninguém consegue abstrair-se totalmente do mundo que o rodeia.

Estes são exemplos de linguagem não-verbal, ou seja, uma linguagem sem palavras, mas que, na maioria das vezes, acaba por ser muito mais poderosa. Se de outro modo fosse, não faria sentido o dito “uma imagem/uma atitude vale mais que mil palavras”.

O homem, enquanto ser social, age e está exposto ao conjunto de ações daqueles que o rodeiam. Até o silêncio, como resposta, é uma forma de comportamento. Só podemos falar em ausência de comportamento, quando efetivamente a pessoa deixa de ter vida, ou seja, quando morre.

Ora, já São Tomás de Aquino, quando falava das cinco vias da existência de Deus, dizia, na chamada via do movimento, que, se uma coisa se move, é porque foi movida por outra. Aliás, também a física explica que a ação gera uma reação, da mesma forma [continuar a ler]

Seminário desafiado a alargar os destinatários das Jornadas de Teologia a todo o arquipélag

Seminário desafiado a alargar os destinatários das Jornadas de Teologia a todo o arquipélag

Bispo interpela Seminário e Vigararia para a Formação para aproveitarem as jornadas como momento formativo do povo de Deus

Terminaram esta sexta feira as III Jornadas de Teologia dos Açores, promovidas pelo Seminário Episcopal de Angra e, numa palavra final de reconhecimento pelo trabalho aqui desenvolvido o bispo de Angra desafiou a instituição a prosseguir o diálogo com a sociedade estendendo-o a outras ilhas através das novas tecnologias.

“Se amanhã houver outras zonas da nossa diocese que quiserem saborear o que aqui se faz, quem sabe poderíamos no futuro transmitir estas jornadas para outras ilhas, utilizando as novas tecnologias” afirmou D. João Lavrador reconhecendo que para isso serão necessários investimentos mas “esta é a forma que Deus nos está a mostrar”

[continuar a ler]
Património cultural e religioso do cristianismo marcado pelas opções tridentinas

Património cultural e religioso do cristianismo marcado pelas opções tridentinas

Reação da Igreja à Reforma determinou muitas opções estéticas da Igreja Católica

As duas últimas conferências das Jornadas Teológicas promovidas pelo Seminário de Angra abordaram o património cultural da igreja e a música sacra como duas expressões que ajudam na relação com o Divino, com as conferências da diretora do Secretariado Nacional dos Bens Culturais, Sandra Costa Saldanha e o musicólogo Rui Viera Nery, respetivamente.

Sandra Costa Saldanha procurou clarificar algumas das diretrizes pastorais da Idade Moderna, em torno do património cultural, particularmente o religioso, após o Concilio de Trento, em meados do século XVI, para sublinhar a importância que historicamente assumiu a preservação preventiva do património religioso para a Igreja.

Na conferência “Sanctarum Imaginum, entre o Homem e o Divino: reflexões sobre algumas diretrizes pastorais na Idade Moderna” a responsável pelo organismo da Igreja lembrou que muitas das orientações pós Concílio de Trento tiveram por base o principio de que as imagens potenciam uma relação com Deus e encerram uma função eminentemente catequética

[continuar a ler]
“É necessária uma evangelização dos sentidos” afirma professor de Teologia Alexandre Palma

“É necessária uma evangelização dos sentidos” afirma professor de Teologia Alexandre Palma

O segundo dia das III Jornadas de Teologia dos Açores, promovidas pelo Seminário de Angra, na ilha Terceira, tiveram como ponto central a abordagem da Arte através da Estética filosófica e teológica.

Para o Professor da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, Pe. Alexandre Palma, o Belo exigirá sempre “uma conversão dos sentidos” o que pressupõe, por outro lado, a sua evangelização.

“Precisamos de aprender a ver, a ouvir, a sentir e a pensar” pois “se o homem é capaz de receber a Deus também será capaz de receber a Beleza”. Por isso, uma teologia da estética seria “um exercício de hermenêutica teológica desta faculdade antropológica e assim capaz de perscrutar o belo em si e naquilo que o rodeia”

[continuar a ler]
Mostra de Arte Sacra integra espaço das III Jornadas de Teologia dos Açores

Mostra de Arte Sacra integra espaço das III Jornadas de Teologia dos Açores

Uma dúzia de peças de arte sacra, pertencentes ao espólio do Seminário Episcopal de Angra, entre alfaias, pinturas, documentos ou paramentaria, integram a mostra organizada por Marta Bretão e que está patente ao público durante os três dias das Jornadas de Teologia promovidas no Seminário.

As peças, quase todas datadas no período compreendido entre os séculos XVII e primeira metade do século XX, resultam de uma inventariação feita pela docente do Seminário e técnica de restauro e conservação de arte sacra

[continuar a ler]
Faleceu Monsenhor José Nunes

Faleceu Monsenhor José Nunes

Faleceu no dia 20 de Março, no Hospital do Santo Espirito, em Angra do Heroísmo, Monsenhor José Soares Nunes.O sacerdote de 84 anos não resistiu a um AVC de que foi vítima na noite de terça feira.

O funeral celebra-se hoje, dia 21 de Março, na Sé Catedral pelas 15.00. O seu corpo está em câmara ardente na Capela do Seminário.

“É uma enorme tristeza e uma grande perda para o Seminário” afirmou o Pe. Hélder Miranda Alexandre ao Igreja Açores.

“Neste momento só me ocorrem palavras de grande reconhecimento e de homenagem a um homem que dedicou toda a sua vida sacerdotal a esta casa, que foi uma referência para todos nós quer ao nível da sabedoria quer ao nível do exemplo de vida”

[continuar a ler]
A Liturgia tem que ser depurada e reconquistar a autenticidade, afirma Pe. Joaquim Félix

A Liturgia tem que ser depurada e reconquistar a autenticidade, afirma Pe. Joaquim Félix

“A via sapencial das artes na liturgia: desafios contemporâneos” foi o tema da primeira conferência das III Jornadas de Teologia, promovidas pelo Seminário Episcopal de Angra, que ontem arrancaram na cidade património procurando abordar a questão do belo nas diferentes disciplinas e o diálogo entre a teologia e a arte.

Joaquim Félix, liturgista e sacerdote da diocese de Braga, lembrou que a liturgia não é pedagogia nem catequese , “sendo a sua razão de ser Deus e, nela os filhos de Deus alegram-se pela Sua presença através da arte”.

A partir da concepção de Romano Guardini, expressa no livro “O Espírito da Liturgia”, de que esta não é tanto uma doutrina a compreender mas uma fonte de luz e de vida para a inteligência e a experiência do mistério e por isso um jogo para o qual deve haver uma educação dos cristãos, o sacerdote bracarense sublinhou a necessidade de compreender a liturgia e a forma como dialoga com a arte.

Tal como os sacramentos, a liturgia deve ser simples porque estamos a tratar de um meio para entrarmos no mistério de

[continuar a ler]
III Jornadas de Teologia dos Açores refletem sobre a “Arte, expressão que transcende”

III Jornadas de Teologia dos Açores refletem sobre a “Arte, expressão que transcende”

As III Jornadas de Teologia dos Açores, promovidas pelo Seminário Episcopal de Angra entre 20 e 22 de Março, estão a refletir sobre o diálogo entre a Arte e a Teologia, através de um conjunto de intervenções que sublinharão o diálogo entre a cultura, a religião e a fé.

No arranque da iniciativa esta noite, o reitor do Seminário Episcopal afirmou que “arte é uma janela de oportunidades para o anúncio da fé cristã” e consequentemente “para a evangelização, pois a beleza “é a prova experiencial de que a encarnação é possível”, afirmou.

“A arte assume-se sempre como algo de irrepetível e como tal, muitas vezes, também apela, através do sublime, à transcendência e ao divino, mesmo quando nos coloca perante expressões mais estranhas”, disse ainda antes de apresentar o segundo número da Revista Fórum Teológico XXI, a revista cientifica do Seminário, que conjuga as conferências proferidas neste espaço “de “humilde contributo para o diálogo entre a teologia e a sociedade” com uma série de outros artigos de professores ou convidados pelo Seminário

[continuar a ler]