Angra do Heroísmo, Açores, 18 mar 2017 (Ecclesia) – O Seminário Episcopal da Diocese de Angra, nos Açores, acolheu deste quinta-feira as I Jornadas de Teologia, centradas no tema o “Cristianismo e a Cultura”.

D. João Lavrador, bispo de Angra, sublinhou durante os trabalhos, que se concluíram hoje, que “o maior drama” da humanidade é a “rutura entre o Evangelho e a Cultura”.

“A partir da modernidade a relação entre fé e cultura transformou-se numa questão dialética, o que obriga a uma reflexão da teologia”, assinalou, numa intervenção divulgada pelo portal diocesano ‘Igreja Açores’.

D. João Lavrador sustenta que este diálogo fé-cultura é necessário e que a Igreja “tem de saber ler os sinais dos tempos para dar resposta aos problemas do homem contemporâneo”.

“Estamos hoje numa época nova da história, com profundas modificações que se estendem sobre a terra”, acrescentou.

José Carlos Seabra Pereira, diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, sustentou por sua vez que Igreja Católica deve procurar ir mais longe no diálogo cultural com a sociedade, promovendo a “partilha de visões do mundo”.

“É um papel importantíssimo que a Igreja tem vindo a desenvolver, sobretudo com os últimos papas, muitas vezes com uma perceção insuficiente no âmbito mais geral da sociedade civil, e que tem não apenas como património, mas como potencialidade de formação integral de cada indivíduo”, disse.

As reflexões produzidas nestas jornadas “serão o embrião para a revista cientifica do Seminário Episcopal de Angra”, adianta o portal diocesano.

Agência Ecclesia OC