Bispo de Angra quer jovens padres a frequentar formação continua obrigatória no Seminário nos dois anos subsequentes à sua ordenação. Obrigatoriedade formativa começa já no próximo ano letivo.

O Seminário Episcopal de Angra vai passar a organizar uma semana de formação académica, por trimestre lectivo, que incluirá um aprofundamento teológico, eclesiológico, litúrgico e pastoral, bem como acompanhamento espiritual, dirigido aos sacerdotes recém ordenados e  que decorrerá nos dois anos imediatamente a seguir à sua ordenação presbiteral. A decisão foi promulgada esta quarta-feira, dia 15,  por um decreto episcopal do bispo de Angra.

“Atendendo às disposições que a Nova Ratio Fundamentalis apresenta para o acompanhamento dos presbíteros recém ordenados” e às “incessantes interpelações” dos documentos do Magistério da Igreja sobre as responsabilidades dos seminários no acompanhamentos dos neo-sacerdotes, nos primeiros anos do seu “múnus pastoral”, justifica D. João Lavrador, “Ficam obrigados a esta formação permanente os presbíteros ordenados nos dois primeiros anos a contar da data da sua ordenação”

Esta formação, que decorrerá durante uma semana, de segunda a sexta-feira, visa acompanhar os neo-sacerdotes de uma forma mais próxima e prepará-los melhor para a transição entre o Seminário e a vida pastoral paroquial.

“Atendendo à realidade dos tempos de hoje, no domínio da cultura, da sociedade e da antropologia, a requerer uma formação permanente para bem se auscultar os Sinais dos Tempos”, o bispo quer preparar os sacerdotes para “uma eficaz evangelização do mundo de hoje” e chama para essa tarefa o Seminário Episcopal.

A medida abrangerá já os seis futuros sacerdotes que serão ordenados por D. João lavrador no próximo dia 6 de setembro, na Igreja de São José em Ponta Delgada.

Durante muitos anos este acompanhamento era uma tarefa do Vigário Episcopal para o Clero.

In Igreja Açores