Condecorações

Condecorações

Presidência da República

Medalha de Ordem de Mérito de Instrução Pública

No dia 10 de Junho deIMG_0125 2015, o Seminário foi agraciado com a medalha da Ordem de Mérito de Instrução Pública da Presidência da República. Uma insígnia imposta pelo Representante da República para os Açores, o embaixador Pedro Catarino, numa cerimónia que decorreu no Solar da Madre de Deus em Angra do Heroísmo, nos termos que se seguem:

O Presidente da República, Grão-Mestre das Ordens Honoríficas Portuguesas, confere ao Seminário Episcopal de Angra do Heroísmo o Título de Membro-Honorário da Ordem da Instrução Pública.

Nos termos da Lei das Ordens Honoríficas Portuguesas são-lhe concedidas as honras e o direito ao uso das Insígnias que lhe correspondem.

Dado na Chancelaria das Ordens Honoríficas Portuguesas, em 20 de Agosto de 2015”.

O embaixador Pedro Catarino lembrou a história do Seminário e sublinhou que além de “alfobre de inúmeras vocações sacerdotais, o Seminário deu ao país e ao mundo cidadãos de inestimável valor cultural e cívico”.

Trata-se de uma Instituição que “assegura a continuidade da igreja no arquipélago”, que “além da assistência espiritual que providencia à população contribui, com as suas obras sociais, para a coesão social das ilhas”.IMG_0123

Para o reitor

[continuar a ler]
Biblioteca

Biblioteca

Biblioteca do Seminário Episcopal de Angra

A Biblioteca do Seminário de Angra compreende cerca de 40.000 monovolumes, além da assinatura de várias revistas. Incluem-se inúmeros incunábulos e grande parte da Biblioteca Franciscana do Povoamento dos Açores. O seu espólio abrange inúmeras obras em ordem à formação filosófica e teológica, nas diversas áreas da História, Literatura clássica, portuguesa e estrangeira, Filosofia, Sagrada Escritura, Teologia Moral, Fundamental, Sistemática, Pastoral, Direito Canónico, Liturgia.

Os livros estão divididos em três salas: volumes até 1862, de 1863 a 1964, e de 1964 ao presente. As revistas encontram-se separadas em outras três salas.

Presentemente estamos em fase de catalogação informática de todos os livros, através do sistema BIBLIOsoft em colaboração com a Bibliteca Pública e Arquivo de Angra do Heroísmo.

Registo e Catalogação:

1. Atribuição da Cota:

– Divisão dos livros por séries A,B,C.
=> A – livros até 21cm (inclusive);
=> B – de 22cm a 26cm (inclusive);
=> C – a partir de 27cm.

Os periódicos também são organizados por séries A,B,C, porém é de ter em conta que o tamanho pode oscilar ao longo do tempo, pelo que a medida a considerar é a do primeiro número da colecção. Por exemplo, a revista [continuar a ler]

Cronologia

Antes

1560 – Constituições sinodais do bispado de Angra dão orientações quanto às Ordens
Menores e às Ordens Sacras, no que se refere aos conhecimentos, bons costumes, idade limitada e “se tem aspeto e descrição de homens para receber a dignidade sacerdotal”;

1563/Julho/15- Institucionalização dos Seminários por parte do Concílio de Trento;

1783-1799 – D. Frei José da Avemaria, bispo de Angra, exigia que “sem a competente certidão de
frequência, aproveitamento e capacidade dos pretendentes, não podiam ser admitidos à
Ordens, neste bispado…”;

1787- Com a expulsão dos jesuítas e sentida a falta de formação para leigos e futuros sacerdotes,
o Capitão General Dinis Gregório e o prelado D. Frei José da Avemaria diligenciaram, sem
sucesso, para que o Seminário funcionasse no edifício do Colégio dos Jesuítas;

1802-1812 – D. José Pegado, bispo de Angra, determinou em testamento “que a sua livraria ficasse ao seu Sucessor, até que em Angra houvesse Seminário Episcopal, de que tanto se necessitava”;

1818/Julho/26- Instrução Pastoral do Cónego. Dr. João José da Cunha Ferraz, governador da
Diocese de Angra, após a morte de D. frei da Sagrada Família sobre os estudos que deviam
fazer os pretendentes à vida sacerdotal como governador da Diocese, após a [continuar a ler]

Alunos ilustres

Nomes de sacerdotes ilustres do seminário de Angra

D. João Paulino de Azevedo e Castro, 19.º bispo de Macau, tendo governado a Diocese entre 1902 e 1918 bispo de Macau;

D. José da Costa Nunes, (Candelária do Pico, 15 de Março de 1880 — Roma, 29 de Novembro de 1976), exerceu as funções de Bispo de Macau (1920 – 1940) e Arcebispo de Goa e Damão (1940 – 1953). Títulos honoríficos de Primaz do Oriente e de Patriarca das Índias Orientais (1940) e posteriormente Vice-Camarlengo da Santa Sé;

D. Manuel Medeiros Guerreiro, (Santa Cruz, Lagoa, Açores, 12 de Abril de 1891 — Santa Cruz, Lagoa, Açores, 10 de Abril de 1978, bispo de Meliapor e, depois, de Nampula;

D. José Vieira Alvernaz, (Ribeirinha do Pico, 5 de Fevereiro de 1898 — Angra do Heroísmo, 13 de Março de 1986) bispo de Cochim, Coadjutor do Patriarca das Índias e, depois, arcebispo de Goa e Patriarca das Índias Orientais;

D. Jaime Goulart, (Candelária do Pico, 10 de Janeiro de 1908 — Ponta Delgada, 15 de Abril de 1997) bispo de Timor;

D. José Pedro da Silva, (Santo Antão, 5 de

[continuar a ler]