Os Jovens e a Semana Santa

Os Jovens e a Semana Santa

” Viver a Semana Santa significa entrar cada vez mais na lógica de Deus, na lógica da Cruz, que não é em primeiro lugar a da dor e da morte, mas do amor e do dom de si que dá vida. Significa entrar na lógica do Evangelho.” (Papa Francisco)

Muitas vezes os jovens não percebem o significado da Semana Santa. Limitam-se a cumprir o preceito de participar das celebrações, ritos e procissões, sendo que a maior parte nem isso faz. Não são só dias para descansarmos do estudo, dos trabalhos, da nossa rotina, etc. É um grande retiro espiritual do povo de Deus. [continuar a ler]

Via de Amor

Via de Amor

A caminhada quaresmal deve ser encarada como o trilhar de um encontro com Cristo. O tempo da Quaresma não é nada mais do que o percurso até ao Gólgota, um caminho de conversão, de esforço e persistência, onde toda a fonte de energia é o Amor. Que sentido tem o Gólgota sem a existência do anúncio? Qual a mensagem que nos traz a cruz na ausência de amor?

O caminho do Calvário não tem o seu início no pretório de Pilatos, mas sim no ventre de Maria, pois é no seio materno que Deus começa a manifestar a sua grande prova de amor. A morte do Senhor é o fruto de toda a sua vida. Só se manifesta amor na cruz, porque Cristo teve coragem de amar durante toda a sua vida! É no Calvário que se dá o auge do anúncio do Reino de Deus, da cura do cego de nascença, da ressuscitação de Lázaro, da cura do paralítico de Betsaida, da purificação do leproso, da ressuscitação da filha de Jairo, da multiplicação dos pães, de uma vida inteira dedicada ao serviço dos outros. O Cordeiro de Deus imolado nas mãos dos homens é o sinal mais visível de [continuar a ler]

PARAR

PARAR

Avançamos cada vez mais depressa para a Páscoa do Senhor e encontramo-nos, praticamente, a meio desta caminhada quaresmal, no IV Domingo da Quaresma, que a Igreja evoca como um dos Domingos da Alegria. É um convite à introspeção e a fazermos um “check-up” deste itinerário quaresmal de 2018.

O que já mudei no meu modo de ser comigo e com os outros até agora, ou o que preciso ainda de melhorar ou extinguir para que esta Quaresma tenha frutos na minha vida? Muitas vezes, caímos na relatividade de um simples ritualismo ou de promessas à boca cheia, que são vãs e incompatíveis com o modelo de Jesus Cristo.

«Perdoai e sereis perdoados. (…) a medida que usardes com os outros será usada também convosco.» [continuar a ler]

SEDE DELE

SEDE DELE

Um título com duplo sentido e que certamente fará suscitar ambos os sentidos nas mais diversas leituras e formas de o interpretar.

Pois bem, sede e sede Dele.

Aos que leram sede como auto necessidade, procura ou desejo Dele, peço que a vejam também como o verbo ser, no imperativo: “Sede vós”.

Convido-vos a uma pequena reflexão subordinada ao tema “vida espiritual” – baseando-me nas reflexões proferias pelo Pe. Agostinho Tavares, no retiro quaresmal do Seminário de Angra – tendo sempre presente o vocábulo “sede” nestes dois sentidos.

Estamos no tempo da Quarema, que a Igreja apresenta assim: “No Tempo da Quaresma, os fiéis, escutando mais frequentemente a palavra de Deus, dedicando-se à oração, fazendo penitência, recordando o seu Batismo e seguindo a Cristo no caminho da cruz, preparam-se para celebrar dignamente a Páscoa.” [continuar a ler]

Despojamento

Despojamento

Aquele que morre e renasce….

Muitas vezes agimos conforme o nosso ego e queremos ter destaque no meio da sociedade; atualmente, nós somos vencidos pela morte do materialismo, e só queremos ter e mais ter….

É urgente pararmos, para pensar e refletir. Como cristãos que somos, precisamos de nos despojar de muitos luxos e honrarias. Estamos no tempo favorável para o fazermos; neste tempo da Quaresma façamos STOP na nossa vida, e deixemo-nos morrer para que no grande Domingo, o dia do Sol, possamos renascer como Homens novos. [continuar a ler]

AMOR IRRESISTÍVEL

AMOR IRRESISTÍVEL

Deus manifesta-se aos homens de diversas formas. Será que nós cristãos sabemos reconhecer Esse mesmo Deus que se entregou por Amor a cada a um de nós? Toda a vida de Jesus foi centrada nos mais frágeis e pobres da sociedade. Como não se apaixonar por esse Homem que desceu até nós, fez-se um de nós e se entregou por nós? Como não se apaixonar por esse Homem que, apesar da nossa infidelidade, não se cansa de estender a sua mão através dos sacramentos, da Palavra, da oração e dos outros? Devemos tomar, na nossa vida, as atitudes de Jesus Cristo: amar como Ele amou, sentir como ele sentiu. [continuar a ler]