Ver, Conhecer e Acreditar

Ver, Conhecer e Acreditar

Caro leitor,

O texto que hoje lhe proponho é uma análise orante de um pequeno trecho do Evangelho segundo São João, capítulo 1, versículos 35 a 39:

35.Naquele tempo, estava João Batista com dois dos seus discípulos e, 36.vendo Jesus que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus». 37.Os dois discípulos ouviram-no dizer aquelas palavras e seguiram Jesus. 38.Entretanto, Jesus voltou-se; e, ao ver que O seguiam, disse-lhes: «Que procurais?». Eles responderam: «Rabi (que quer dizer Mestre), onde moras?» 39.Disse-lhes Jesus: «Vinde ver». Eles foram ver onde morava e ficaram com Ele nesse dia. Era por volta das quatro horas da tarde.” 

  [continuar a ler]

Tu tens que dar um pouco mais do que tens

Tu tens que dar um pouco mais do que tens

Começo a minha reflexão com um excerto de uma música muito conhecida, que dá o nome a este texto, e que me pareceu o indicado para este tempo em que a Festa do Natal finda:

«Fica mais rica a alma de quem dá,

Chega mais alto o hino

De quem vive a partilhar.»

            Acabaram-se as luzes, os festejos, as músicas e as explosões de cores. Acabaram-se as celebrações grandes e cheias de tanto e tão ricas. Acabou-se toda aquela «calma» que um simples pacote de açúcar – não lhe retirando o valor – nos trouxe quando o colocamos dentro de um cabaz das inúmeras campanhas de solidariedade que nos bateram à porta e que vieram para trazer um certo descargo de consciência.

A estes cabazes não lhes tiro a importância e até acho que não há melhor maneira de celebrar o Natal do que assim, «partilhando» esta Festa que é de todos e para todos.

Mas, questionemo-nos: e o resto do ano? Será que só existe fome até ao dia de Reis? Será que acabando o Natal, toda esta pobreza desaparecerá? Ou será que a nossa consciência só nos pesa nesta época? Tudo isto me faz parar e reflectir.

Precisamos [continuar a ler]