ORDENAÇÕES E INSTITUIÇÃO

 

 

No dia 8 de Dezembro de 2017, Solenidade da Imaculada Conceição, no Santuário de Nossa Senhora da Conceição de Angra, o Sr. D. João Evangelista Pimentel Lavrador ordena e institui os seguintes candidatos:

DIÁCONO EM ORDEM AO PRESBITERATO – NUNO MIGUEL COSTA FIDALGO, aluno do 6º ano do Seminário, filho de João da Costa Fidalgo e de Maria Eduarda Moreira Costa Fidalgo. Nascido a 28 de Setembro de 1989, na freguesia de Furnas, Concelho de Povoação, e baptizado a 26 de Novembro de 1989, na Paróquia de Santana, Furnas, Ouvidoria de Povoação,

DIÁCONOS PERMANENTES – HERIBERTO HERCULINO SILVEIRA BRASIL, filho de José de Sousa Brasil e de Maria Cândida Candeias, nascido a 30 de Outubro de 1946, na freguesia de Ribeirinha, Concelho de Angra do Heroísmo, e batizado a 01 de Novembro de 1946, na Paróquia de Nossa Senhora do Pilar de Cinco Ribeiras, Ouvidoria de Angra do Heroísmo, casado com Maria Gisela Silva Cardoso a 09 de Dezembro de 1984. FRANCISCO HENRIQUE FERNANDES DE LIMA, filho de João Pacheco de Lima e de Maria da Conceição Fernandes Silva, nascido a 28 de Junho de 1958, na freguesia de Ribeirinha, Concelho de Angra do Heroísmo, e baptizado a [continuar a ler]

O Seminário como comunidade educativa em caminhada está atento á realidade do mundo e tem um contributo insubstituível para a sociedade. Desde logo na formação integral dos seus alunos e na escuta dos sinais dos tempos para responder de modo adequado aos anseios da humanidade de hoje.

 

Faço o apelo a todos os diocesanos para que manifestem o interesse pelo Seminário Maior, apreciem e valorizem o esforço educativo que aí se está a realizar, se empenhem na dinamização vocacional que passará pelas famílias e pelas comunidades cristãs, rendam graças a Deus que na Sua misericórdia nos oferece a alegria de um Seminário dinâmico cuja comunidade se manifesta alegre e feliz e contribuam generosamente para as grandes despesas que acarreta a sua vida”.

D. João Lavrador

Notícias

Bispo de Angra pede aos novos diáconos para serem os “despertadores” da consciência cristã num mundo “marcado pelo mal”

D. João Lavrador ordenou três diáconos, um deles em ordem ao sacerdócio

O bispo de Angra ordenou hoje três novos diáconos- um em ordem ao sacerdócio e dois permanentes- e desafiou-os a serem “um despertar da consciência cristã” com vista à criação de um novo tempo marcado pela “fraternidade” e pelo “serviço” ao outro.

“A Igreja, na sua missão evangélica, é chamada a ouvir o clamor dos pobres e a socorre-los. Procurai, caros ordinandos e candidato ao ministério de leitor, discernir os `gemidos do Espirito´, segundo as palavras de S. Paulo, que está, no meio de perplexidades e incompreensões a edificar uma nova humanidade” disse D. João lavrador na homilia da missa da Solenidade da Imaculada Conceição, celebrada no Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

[continuar a ler]

Entrevista ao novo Diácono Nuno Fidalgo

Nuno Fidalgo em entrevista ao Igreja Açores fala da sua opção de vida, da vocação e das preocupações que o mantém focado em ser “o rosto de cristo junto da comunidade”. O jovem de 28 anos, natural das Furnas, na ilha de São Miguel, é ordenado hoje diácono

Igreja Açores- Esta sexta feira será ordenado diácono com vista ao sacerdócio. Depois do regresso ao Seminário, após uma pausa,  o que representa este momento para si?

Nuno Fidalgo- É para mim o primeiro passo do culminar do sonho que Deus tem para mim e que por resistência da minha parte fui adiando, mais, ignorando. Representa a inefável predilecção que Deus tem por cada um de nós em particular e que se realizou, concretamente em mim, no chamamento a este serviço, a esta missão. É o concretizar-se da história de amor que Deus escreveu para mim.

[continuar a ler]

Moradores da Liberdade

Há alguns dias uma amiga enviou-me fotos da sua recente visita aos Campos de Concentração em Auschwitz, que se encontravam banhados por uma leve e pura neve. Disse-me que ali teve a sua grande experiência de liberdade, onde Etty Hillesum foi capaz de evocar um Deus, num céu que atribuiu como casa sua, quando se é capaz de trazer a sua totalidade, como quem sabe que a verdadeira liberdade não pode ser subtraída, por não haver uma geografia própria. Esta liberdade que é como um arco-íris, que surge partindo da posição dos olhos de quem o observa, estando sempre mais além. [continuar a ler]